Quem sou eu

Minha foto
Mineira,professora graduada em Normal Superior e Letras,posgraduada em psicopedagogia e supervisão escolar. Atualmente estou atuando como supervisora pedagógica , do maternal 3 ao 5º ano. Sejam bem vindos(as)!!!

domingo, 20 de março de 2011

Texto: A velha contrabandista


A Velha Contrabandista 
       
 Diz que era uma velhinha que sabia andar de lambreta. Todo dia ela passava pela fronteira montada na lambreta, com um bruto saco atrás da lambreta. O pessoal da Alfândega tudo malandro velho, começou a desconfiar da velhinha.
       Um dia, quando ela vinha na lambreta com o saco atrás, o fiscal da Alfândega mandou ela parar. A velhinha parou e então o fiscal perguntou assim pra ela:
      __ Escuta aqui, vovozinha, a senhora passa por aqui todo dia, com esse saco aí atrás. Que diabo a senhora leva nesse saco?
          A velhinha sorriu com os poucos dentes que lhe restavam e mais os outros, que ela adquirira no odontólogo, e respondeu:
      ___É areia!
Aí quem sorriu foi o fiscal. Achou que não era areia nenhuma e mandou a velhinha saltar da lambreta para examinar o saco. A velhinha saltou, o fiscal esvaziou o saco e dentro só tinha areia. Muito encabulado, ordenou à velhinha que fosse em frente. Ela montou na lambreta e foi
embora, com o saco de areia atrás.
          Mas o fiscal ficou desconfiado ainda. Talvez a velhinha passasse um dia com areia e no outro com muamba , dentro daquele maldito saco. No dia seguinte, quando ela passou na lambreta com o saco atrás, o fiscal mandou parar outra vez. Perguntou o que é que ela levava no saco e ela respondeu que era areia, uai! O fiscal examinou e era mesmo.
         Durante um mês seguido o fiscal interceptou a velhinha e, todas as vezes, o que ela levava no saco era areia.
         Diz que foi aí que o fiscal se chateou:
        __Olha, vovozinha, eu sou fiscal de Alfândega com 40 anos de serviço. Manjo essa coisa  de contrabando pra burro. Ninguém me tira da cabeça que a senhora é contrabandista.
         __Mas no saco só tem areia! __ insistiu a velhinha. E já ia tocar a lambreta, quando o fiscal propôs:
         __ Eu prometo à senhora que deixo a senhora passar. Não dou parte, não apreendo, não conto nada a ninguém, mas a senhora vai me dizer: qual é o contrabando que a senhora está passando por aqui todos os dias?
         __ O senhor promete que não “espáia”? __ quis saber a velhinha.
          __ Juro __ respondeu o fiscal.
          ___ É lambreta.    (Stanislaw Ponte Preta/ in Para gostar de ler, vol. 8. São Paulo, Ed. Ática, 1997)

VOCABULÁRIO:

Muamba – contrabando
Alfândega – local por onde passam mercadorias vindas de outro país
Odontológo – dentista
Lambreta – motocicleta
Fiscal – pessoa que fiscaliza
Encabulado – com vergonha
Interceptou – interrompeu

Interpretação do texto:
1) Numere a 2ª coluna de acordo com a 1ª, de maneira a relacionar o fato com a sua conseqüência:
(1) A velhinha passava todos os dias com um saco na lambreta.
(2) O fiscal fez a velhinha parar.
(3) O fiscal não acreditou no que a velhinha falou.
(4) O fiscal fez uma proposta à velhinha.
( ) A velhinha parou.
( ) A velhinha contou a verdade ao fiscal.
( ) Os fiscais da Alfândega desconfiaram da velhinha.
( ) O fiscal examinou o saco.

2) Reflita sobre a afirmação abaixo:
Agora responda, marcando a alternativa correta:

Se a velhinha contrabandeava lambretas, por que ela carregava o saco de areia?
( ) Para fazer com que as lambretas ficassem mais pesadas.
( ) Para despistar os fiscais, desviando a atenção das lambretas que ela contrabandeava.
( ) Para ficar em forma, carregando mais peso.
( ) Para contrabalançar o peso das lambretas.

3) Retire, do texto, a palavra que possui o mesmo sentido da sublinhada nas frases abaixo:

a) O fiscal achou que havia “muamba” no saco.
b) Durante um mês seguido o fiscal interrompeu o curso da velhinha.
c) A velhinha sorriu com os poucos dentes que lhe restavam e mais os outros, que ela adquirira no dentista.

Gramática:

1) Observe os verbos destacados nas frases abaixo e marque a opção que mostra o tempo em foram conjugados:

a) “Diz que era uma velhinha”.
( ) Passado
( ) Presente

b) “Olha vovozinha, eu sou fiscal da Alfândega”.
( ) Passado
( ) presente

Ortografia:
1) Assinale as frases onde foram empregados corretamente mal e mau.

( ) O fiscal estava sendo mau, ao desconfiar da velhinha.
( ) A velhinha passou por um mau momento nas mãos dos fiscais.
( ) O fiscal não era mal, ele só estava cumprindo com suas obrigações.

3) Observando as palavras destacadas, empregue corretamente: sobre e sob.

a) A velhinha ficou com vergonha do fiscal e escondeu-se embaixo do caminhão.
A velhinha ficou com vergonha do fiscal e escondeu-se ___________ o caminhão.
b) Os sacos de areia estavam em cima da lambreta.
Os sacos de areia estavam ________________ a lambreta.
REDAÇÃO
        A descrição é útil para nossa vida, pois passamos por situações que é preciso saber descrever, como por exemplo, para ensinar alguém a chegar em um determinado lugar, é preciso contar como é esse lugar, dando características e detalhes, para que se torne possível identificá-lo. Esse é apenas um exemplo, existem vários outros que podem acontecer no nosso
cotidiano.
             Observe a situação abaixo e crie uma história, não esquecendo de introduzir também, a descrição. Assim, você estará fazendo uma narração com descrição.

Um comentário:

  1. Eu tenho 15 anos,mais não deixo de gostar dessa história,é muito interessante e te deixa curioso(a).Minha mãe me contava quando eu era pequena,ate hoje não me esqueço.é um conto muito bom para se ler!!

    ResponderExcluir