Quem sou eu

Minha foto
Brumadinho, MG, Brazil
Ivani Ferreira é professora e blogueira . Possui graduação em Letras pela Faculdade Asa de Brumadinho (2006), Normal Superior pela Universidade Federal de Montes Claros(2005), especialização em Psicopedagogia pela Universidade Federal Castelo Branco (2007), Supervisão Pedagógica pela FINON (2008). Professora efetiva na rede Municipal de Brumadinho desde 2005, porém, atua na rede municipal com turmas da Educação Infantil , Ensino Fundamental 1 e 2 , desde o ano de 2002. Trabalhou como supervisora pedagógica na Escola Municipal Leon Renault- Brumadinho/MG (2013- 2016). Atualmente trabalha como professora da Educação Infantil na EMEI Nair das Graças Prado em Brumadinho/MG. Sejam bem vindos(as)!!!

terça-feira, 30 de agosto de 2016

História de Brumadinho, MG.

                  DISTRITOS

                 VISTA AÉREA DO CENTRO E ENTORNO DE BRUMADINHO
SEDE
A origem do Distrito Sede de Brumadinho, onde se localiza a Casa de Cultura “Carmita Passos”, se deve a construção do canal de Paraopeba da Estrada de Ferro Central do Brasil. O povoado nasceu eu se desenvolveu em consequência do estabelecimento da Estação Ferroviária, em 20 de junho de 1917. Desde a época da decadência da mineração do ouro, Minas Gerais foi um estado de economia estagnada, praticando apenas a lavoura de subsistência e uma pequena mineração. Com o desenvolvimento da cultura cafeeira e a possibilidade de se extrair e exportar o minério de ferro, a construção ferroviária apareceu não só como uma necessidade, mas como uma grande saída para o desenvolvimento. Assim, a construção do Ramal do Paraopeba faz parte dessa fase áurea da construção ferroviária em Minas e no Brasil. Juntamente com a inauguração da Estação Ferroviária de Brumadinho, também foram inauguradas as estações de Belo Vale, Fecho do Funil, Sarzedo, Ibirité, Jatobá e Gameleira, concluindo o ramal.
ARANHA

IGREJA MATRIZ JESUS MARIA E JOSÉ
PRAÇA PADRE AGOSTINHO
O município de Brumadinho foi criado através do Decreto-Lei n° 148, no dia 17 de dezembro de 1938, desmembrando-se de Bonfim. Foi instalado em 1° de janeiro de 1939. Empossou-se nesta data o primeiro prefeito nomeado, o engenheiro civil e de minas Mário Albergaria dos Santos. Quando se formou o novo município, foram anexados os distritos de Aranha e São José do Paraopeba, saídos do município de Itabirito e Piedade do Paraopeba, desmembrado do município de Nova Lima.
PIEDADE DO PARAOPEBA

IGREJA NOSSA SENHORA DA PIEDADE
O município de Brumadinho foi criado através do Decreto-Lei n° 148, no dia 17 de dezembro de 1938, desmembrando-se de Bonfim. Foi instalado em 1° de janeiro de 1939. Empossou-se nesta data o primeiro prefeito nomeado, o engenheiro civil e de minas Mário Albergaria dos Santos. Quando se formou o novo município, foram anexados os distritos de Aranha e São José do Paraopeba, saídos do município de Itabirito e Piedade do Paraopeba, desmembrado do município de Nova Lima.

SÃO JOSÉ DO PARAOPEBA
 IGREJA MATRIZ SÃO JOSÉ

O município de Brumadinho foi criado através do Decreto-Lei n° 148, no dia 17 de dezembro de 1938, desmembrando-se de Bonfim. Foi instalado em 1° de janeiro de 1939. Empossou-se nesta data o primeiro prefeito nomeado, o engenheiro civil e de minas Mário Albergaria dos Santos. Quando se formou o novo município, foram anexados os distritos de Aranha e São José do Paraopeba, saídos do município de Itabirito e Piedade do Paraopeba, desmembrado do município de Nova Lima.

CONCEIÇÃO DE  ITAGUÁ

IGREJA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

PRAÇA MARIA JÚLIA DE SALES

O distrito de Brumado do Paraopeba (atual distrito de Conceição do Itaguá), fundado por volta de 1914, pertencia ainda ao município de Bonfim. Em 1953, Conceição de Itaguá se torna Distrito de Brumadinho, que passa a possuir quatro distritos.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Projeto: Geometria para a Educação infantil

Troca de experiência organizada pela pedagoga Vagnecilda Alves, da  Escola Municipal Professora Perbuíra Rodrigues da Silva Couto,em Igarapé, MG.
                                                           Parabéns pela organização.Ficou tudo muito lindo!

















PROJETO DE LEITURA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

Projeto “ O ENCANTAMENTO DAS HISTÓRIAS INFANTIS”

JUSTIFICATIVA: Desde pequenas, as crianças interessam-se pelo mundo encantado das histórias, pelo imaginário, pelo mistério e surpresas que divertem e ensinam. Por meio da linguagem simbólica das histórias, a criança vem a construir uma ponte de significação do mundo exterior para o seu mundo interior, aprendendo valores, refletindo sobre suas ações, desenvolvendo seu senso crítico, sua criatividade, sua expressão e linguagem.
As obras literárias nos possibilitam estabelecer relação entre a teoria e a prática, para atingir determinadas finalidades educativas. Sendo assim, através deste projeto “No mundo encantado das histórias”, busco atingir o objetivo de criar leitores, bem como, desenvolver os conhecimentos da língua escrita.

OBJETIVO GERAL: Proporcionar oportunidades de aprendizagens ‘as crianças e desenvolver a sensibilidade e o gosto pela leitura.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:


  • ·         Entrar em contato com diversas histórias infantis;
  •      Desenvolver o hábito de ouvir com atenção;
  •       Enriquecer e ampliar o vocabulário;
  •       Ampliar a expressão e comunicação por meio de desenhos, pinturas e colagens;
  •      Avançar na hipótese de escrita e leitura;
  •           Identificar letras e palavras conhecidas presentes nos textos e nos nomes dos personagens;
  •       Desenvolver o senso crítico e a criatividade.

CONTEÚDOS:

¯ Conto e reconto de histórias;

¯ Interpretação r dramatização;

¯ Práticas de escrita e leitura;

¯ Produção textual coletiva;

¯ Bilhete;

¯ Carta;

¯ Expressão oral e corporal;

¯ Gêneros literários;

¯ Expressividade;

¯ Valores;

¯ Fazer artístico;

¯ Recorte e colagem;

¯ Contagem;

¯ Números e operações;

¯ Raciocínio lógico;

¯ Construção de gráfico;

¯ Agrupamentos;

¯ Brincadeiras e jogos;

¯ Seres vivos;

¯ Alimentação

METODOLOGIA:

$ Leitura de diversas histórias infantis;

$ Interpretação oral e escrita;

$ Dramatização das histórias;

$ Construir textos coletivos, utilizando figuras sequenciadas

$ Cruzadinhas;

$ Recorte e colagem de palavras e imagens;

$ Listagem de palavras;

$ Desenhos e pinturas relacionadas com a leitura;

$ Dobradura;

$ Criação e continuação de histórias;

$ Confeccionar fantoches;

$ Brincadeiras que envolvam lateralidade e corporeidade;

$ Construir um quebra-cabeça da história;

$ Escrita espontânea dos nomes dos personagens;

$ Visita a biblioteca;

$Escrever um bilhete para os pais sobre o produto que cada criança deverá trazer para sanduíche;

$ Dia do sanduíche (cada criança fará o seu próprio sanduíche)

$ Escrita de uma carta, contando a história da turma;

$ Construir um animal de sucata e apresentar suas características;

$ Construir um gráfico de quantidades de letras das palavras estudadas;

$ Completas as palavras com as letras que faltam;

$ Construção das quantidades 5, 6,7, 8, 9, 10;


 CRONOGRAMA: setembro a dezembro

AVALIAÇÃO:

Será observado se a criança:

·         Participa das atividades, interagindo com o grupo;

·         Demonstra iniciativa;

·         Elabora perguntas respostas de acordo com o contexto;

·         Reconta histórias com as características próximas a original;

·          Participa de atividades de escrita e leitura;

·         Constrói e quantifica números;

·         Associa os sons das letras contidas nas palavras;

·         Evoluiu na hipótese de escrita e leitura;

·         Respeita as regras de convivência social.


domingo, 28 de agosto de 2016

Plano de aula para 1º período - Contagem e recitação de números( estagiária)

CONTEÚDO: “Cantando números de 01 a 09”.

OBJETIVOS:
·         Percepção auditiva e visual de forma lúdica.
·         Desenvolvimento das habilidades de coordenação motora, atenção e concentração.

DURAÇÃO: 4 horas

METODOLOGIA: Levar as crianças para a sala de vídeo para assistirem ao clipe da galinha pintadinha  música “Mariana”.  Como a turma é pequena todos alunos ensaiaram uma encenação da música para apresentação, na próxima aula para ,  supervisora em sala de aula.

RECURSOS METODOLÓGICOS: DVD com o clipe da música “Mariana” da   Galinha Pintadinha.

PROPOSTA DE AVALIAÇÃO: Contínua e processual por meio da observação do interesse das crianças e registros durante as atividades propostas.



Plano de aula para o 1º período - Arte com números/estagiária



CONTEÚDO: “Fazendo arte com os números”.

OBJETIVOS:
·         Desenvolver na criança competências na escrita dos números.
·         Desenvolvimento das habilidades de coordenação motora, percepção visual, atenção e concentração.

DURAÇÃO: 4 horas

METODOLOGIA: Jogo de boliche dos números 0 a 9, qual o numero que foi derrubado, em seguida oficina de artes. Serão distribuídas folhas imprimidas com números 0 a 9 para que os alunos coloram com lápis de cor, colem lantejoulas e escrevam, no espaço indicado, os números com lápis de cor.  Cada número será colorido com a cor que for ditada.

RECURSOS METODOLÓGICOS: Atividades com números, lápis de cor, cola e lantejoulas.

PROPOSTA DE AVALIAÇÃO: PROPOSTA DE AVALIAÇÃO: Contínua e processual por meio da observação do interesse das crianças e registros da participação nas atividades propostas.


Plano de Aula para o 1º período - Aprendendo a tracejar números de 5 a 9.(estagiária)

CONTEÚDO: “Brincando de tracejar números de 5 a 9”.

OBJETIVOS:
·         Desenvolver na criança competências na escrita dos números.
·         Explorar o movimento corporal.
·         Desenvolvimento das habilidades de coordenação motora, percepção visual, atenção e concentração.

DURAÇÃO: 4 horas

METODOLOGIA: Desenhar, no pátio da escola, números com giz. Para esta atividade serão usados dois dados (um contendo números de 0 a 4 e outro contendo números de 5 a 9). Neste segundo dia de atividade no pátio será usado o dado que contém os números de 5 a 9. A dinâmica é a seguinte: o dado será entregue para cada um dos alunos, por vez, para que jogue e o número que sair ele deverá caminhar sobre ele por três vezes. Na volta para a sala de aula os alunos deverão realizar atividades de colagem e pintura.

RECURSOS METODOLÓGICOS: Dado, giz, atividades xerocopiadas, lápis, borracha, bolinhas de papel colorido, cola branca e tinta guache.

PROPOSTA DE AVALIAÇÃO: PROPOSTA DE AVALIAÇÃO: Contínua e processual por meio da observação do interesse das crianças e registros da participação nas atividades propostas.


Plano de aula para 1º período -Tracejando Números de 0 a 4.

CONTEÚDO: “Brincando de tracejar números de 0 a 4”.

OBJETIVOS:
·         Desenvolver na criança competências na escrita dos números.
·         Explorar o movimento corporal.
·         Desenvolvimento das habilidades de coordenação motora, percepção visual, atenção e concentração.

DURAÇÃO: 4 horas

METODOLOGIA: Desenhar, no pátio da escola, números com giz. Para esta atividade serão usados dois dados (um contendo números de 0 a 4 e outro contendo números de 5 a 9). Neste primeiro dia de atividade no pátio será usado o dado que contém os números de 0 a 4. A dinâmica é a seguinte: o dado será entregue para cada um dos alunos, por vez, para que jogue e o número que sair ele deverá caminhar sobre ele por três vezes. Na volta para a sala de aula os alunos deverão realizar atividades de colagem e pintura.

RECURSOS METODOLÓGICOS: Dados, giz, atividades xerocopiadas, lápis, borracha, palitos de sorvete, cola branca e tinta guache.

PROPOSTA DE AVALIAÇÃO: PROPOSTA DE AVALIAÇÃO: Contínua e processual por meio da observação do interesse das crianças e registros da participação nas atividades propostas.

Artes: Casinha de doces da história João e Maria

                                                                                     (Confeccionada pela estagiária Débora)




Projeto de Intervenção - Brincando se Aprende!

 PROJETO DE INTERVENÇÃO- Brincando se Aprende!

.1 Introdução

A Educação Infantil atua no processo de desenvolvimento da criança em todas as dimensões humanas: afetiva, motora, cognitiva, social, linguística e política, propiciando a ela conhecer e aprender sobre o mundo que a abraça com afeto, prazer e/ou desprazer; que se apresenta por meio da fantasia, literatura, música e artes; das ciências naturais e sociais e da matemática, possibilitando seu desenvolvimento e crescimento. (RIO DE JANEIRO, 2010).
No que tange à linguagem escrita Baptista (2010, p. 1) destaca que “No seu cotidiano, professoras da educação infantil experimentam dúvidas, ansiedades e inseguranças relacionadas à linguagem escrita e ao trabalho pedagógico a ser desenvolvido”.
Assim atendendo à sugestão da professora regente de turma do 1º Período da Escola Municipal .... a qual ter percebido que seus alunos têm apresentado dificuldades no tracejado da linguagem escrita dos números, é que optei por desenvolver um Projeto de Intervenção que contemple o processo de aquisição da linguagem escrita em Matemática.
Para o desenvolvimento do Projeto “Brincando se Aprende em uma turma de 1o Período, objetiva desenvolver nas crianças as competências necessárias para o traçado correto na escrita dos números.
Neste sentido Baptista (2010, p. 2) assevera que: “é importante dizer que o trabalho com a linguagem escrita deve permitir à educação infantil assumir um papel importante na formação de leitores e de usuários competentes do sistema de escrita, respeitando a criança como produtora de cultura”.
Soares (2009) apud Baptista (2010, p. 2) apregoa que: “O desejo de compreender o sistema de escrita e dele se apropriar é fruto da interação da criança com a cultura escrita (...)”.


 TÍTULO:Brincando se aprende

OBJETIVO GERAL: Levar as crianças a uma aprendizagem correta no traçado dos números.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
·         Desenvolver  e identificação e leitura dos números;
·         Contribuir para o avanço da criança nos registros da escrita matemática.
·         Reconhecer a função social dos números;
·         Reconhecer esse símbolo gráfico como instrumento de grande utilidade em seu cotidiano.

METODOLOGIA:

Os trabalhos e ou atividades a serem desenvolvidas neste projeto se efetivarão por meio das seguintes atividades:

·         Colagem.
·         Percepção tátil de números móveis.
·         Momento musical: Músicas “Mariana, Cinco Patinhos, Indiozinhos, Pipoquinha, a galinha do vizinho, as gotinhas.”
·         Atividades e gestos, que possibilitam a identificação dos traçados dos números.
·         Fazer o traçado, no ar, no chão com giz, entre outras.



.3 Referencial Teórico

Os números fazem parte do nosso cotidiano e, neste sentido, as crianças, antes mesmo ingressarem em uma escola, entram em contato com eles ainda que de forma simbólica, fazendo com que eles se tornem significativos para elas.
Assim no processo de ensino e aprendizagem na Educação Infantil a criança precisa ser conduzida à realização de atividades que lhe permitam a construção do conhecimento e apreensão dos saberes necessários à sua formação plena, principalmente os conhecimentos e saberes matemáticos.
Abreu e Côrrea (2011) afirma que pensar a Matemática, no contexto da Educação Infantil, é evidenciar somente um dos saberes necessários para a criança se apropriar da cultura de seu convívio cotidiano, portanto é preciso possibilitar à criança a construção das noções e conceitos matemáticos de uma maneira livre, a partir daquilo que ela faz no seu cotidiano.
Nascimento e Iurk, (2008, p. 7) preconizam que:
É função da escola levar a criança, em qualquer nível de ensino e período de desenvolvimento, a obter experiências e informações que enriqueçam seu repertório, bem como procedimentos metodológicos que permitam integrar sucessivamente estes novos conhecimentos àqueles que a criança já detém. Isto implica, necessariamente, trabalhar com o instrumental que a criança dispõe em cada etapa de seu desenvolvimento, ou seja, com as formas de intervir e apreender o real e com o imaginário que o ser humano vai adquirindo ao longo da vida.

Berkenbrock e Jaques (2004, p. 114) asseveram que o nome e a escrita dos numerais fazem parte de outro universo do conhecimento: o conhecimento social o qual é adquirido por meio da transmissão social, da utilização da linguagem. São valores, normas sociais, regras, nomes dos objetos que a criança precisa saber para se integrar com o meio. Desenvolver situações para as crianças apenas memorizarem, relacionando o nome ao símbolo, saber escrever numerais, não dará condições para que elas entendam os conceitos básicos e necessários para a compreensão da construção do número. A compreensão do número exige um longo caminho a ser percorrido pela criança.

É fato que saber escrever numerais, não oferece condições para que elas entendam os conceitos básicos e necessários para a compreensão da construção do número, mas de certa forma contribui para que os conceitos básicos sejam melhores assimilados. Assim vale ressaltar faz-se necessário que o ensino dos números no universo infantil, pois estes se fazem presentes no cotidiano de todo ser humano.