Quem sou eu

Minha foto
Brumadinho, MG, Brazil
Ivani Ferreira é professora e blogueira . Possui graduação em Letras pela Faculdade Asa de Brumadinho (2006), Normal Superior pela Universidade Federal de Montes Claros(2005), especialização em Psicopedagogia pela Universidade Federal Castelo Branco (2007), Supervisão Pedagógica pela FINON (2008). Professora efetiva na rede Municipal de Brumadinho desde 2005, porém, atua na rede municipal com turmas da Educação Infantil , Ensino Fundamental 1 e 2 , desde o ano de 2002. Trabalhou como supervisora pedagógica na Escola Municipal Leon Renault- Brumadinho/MG (2013- 2016). Atualmente trabalha como professora da Educação Infantil na EMEI Nair das Graças Prado em Brumadinho/MG. Sejam bem vindos(as)!!!

sábado, 15 de agosto de 2015

Educação Religiosa 7º ano

A PARÁBOLA DO PERDÃO

Refletir sobre a oração do Pai-nosso, de modo especial a frase “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”.
Quem ama perdoa. Mas, quantas vezes devemos perdoar? Foi o que o Apóstolo Pedro perguntou certa vez a Jesus.
-               Mestre, quantas vezes devo perdoar aquele que me ofende? Até sete vezes está bom?
-               Não até sete vezes, Pedro, mas até setenta vezes sete.

Setenta vezes sete, na maneira de falar dos judeus significa, sempre. Jesus nos manda amar o próximo assim como Deus nos ama.
Dou-vos um mandamento novo: Que vos ameis uns aos outros, como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros (João 13,34)
Certo rei resolveu acertar as contas com os seus devedores. O primeiro a ser chamado devia-lhe dez talentos, uma quantia astronômica. O devedor não podia pagar nem os juros da fabulosa dívida. Por isso o rei ordenou que seus bens fossem tomados. Pior ainda: ele, a mulher e os filhos deveriam ser vendidos como escravos. Desesperado, o devedor ajoelhou-se diante do rei e suplicou-lhe, chorando: - Tende compaixão de mim bom rei! Dai-me um prazo que voz pagarei tudo! Comovido o rei perdoou-lhe toda a dívida. O devedor deixou o palácio pulando de alegria. Na primeira esquina, encontrou um velho conhecido que lhe devia uma quantia  insignificante de dinheiro. Você pode pensar que ele tenha dito ao devedor: - “Você não precisa me pagar coisa alguma. Perdôo-lhe em homenagem ao misericordioso rei que me perdoou tudo o que lhe devia”. Mas está enganado! Na verdade, ele se aproximou do devedor, agarrou logo pelo pescoço e pôs-se a sufocá-lo, enquanto gritava: - Paga o que me deves velhaco, se não te mato. O pobre homem caiu aos seus pés, rogando-lhe em prantos: - Têm paciência comigo! Dê-me um prazo que lhe pagarei a dívida com juros e tudo! Mas o credor cruel de nada quis saber. Mandou-o logo para a prisão, dando ordens para que ficasse até que lhe pagasse a dívida. Informado do que havia ocorrido, o rei mando chamar o credor cruel, e disse-lhe: - “Eu te perdoei uma imensa dívida, porque não perdoastes uma pequena dívida de teu irmão? Pois também  irás para a prisão até que me pagues o último centavo (Mateus 18,23-35)”.
Atividades
1.    O que nos ensina a parábola do perdão?
2.    Aquele rei da parábola foi muito severo com o devedor que não perdoou seu irmão. O que você tem a nos dizer sobre isso?
3.    Quantas vezes Jesus manda perdoar as pessoas que nos ofendem? Explique?
4.    Escolha uma destas frases abaixo e escreva-a numa faixa e cole em seu caderno.

Quem ama perdoa.  O Perdão é filho do amor. O amor é a maior fonte de perdão.

Ou outras frases; Seja criativo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário